O CRESS-MT realizou a Assembleia Geral Ordinária na noite desta quinta-feira (13) na Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Auditório Instituto de Ciências Humanas e Sociais, com mais de 30 participantes, entre profissionais, trabalhadores/as e convidado/as.

O primeiro ponto de pauta foi a Anuidade 2023. A assembleia deliberou e aprovou por unanimidade o reajuste conforme a inflação de 10,12% (INPC/IBGE, de agosto de 2021 a julho de 2022), portanto a anuidade passa de R$510,74 para R$652,43.

Em seguida foi deliberado o destino da sede atual do CRESS-MT. A assembleia aprovou por unanimidade a venda do imóvel e, enquanto não aparecer um comprador, a sede deverá ser colocada para alugar, após a mudança para a nova sede.

Comissão Regional Eleitoral, foi apresentada a Resolução sobre o Código Eleitoral do Conjunto CFESS/CRESS, com as normas destinadas a assegurar a organização e o exercício dos direitos políticos dos/as assistentes sociais junto ao Conselho Federal de Serviço Social e Conselhos Regionais de Serviço Social – CFESS/CRESS, precipuamente os de votar e ser votado. Foram apresentadas as competências da Comissão Regional Eleitoral. A Comissão Regional Eleitoral foi homologada, sendo composta por conselheira, trabalhadora e profissionais de base:

Ana Paula Fonseca Souza e Silva – agente fiscal;
Mércia Gonçalves – conselheira;
Luciana Trugillo Pelloso – profissional da base;
Rafaella Pereira França de Paula – profissional da base;
Isabela Oliveira de Campos – profissional da base.

A presidenta do CRESS-MT, Larissa Gentil, apresentou as prioridades para o próximo triênio, indicadas no Encontro Nacional, realizado pelo conjunto CFESS-CRESS no mês de setembro, em Maceió (Leia Mais Aqui). O professor e membro da Abepss, Josiley Carrijo, a conselheira Adriana Edna e a assistente social Kássya Lanuse reforçaram, em suas falas, a importância do Encontro e o quanto ele é rico para o profissional, inclusive no sentido de uma capacitação, por causa dos temas que são debatidos e trabalhados.

Kássia Lanuse, que participou pela primeira vez de um Encontro Nacional, destacou a pauta sobre a Luta Anticapacitista e espera que ela seja reforçada pela categoria profissional.
“Essa minha participação no Encontro Nacional, fazendo parte da delegação do CRESS-MT, foi importante e foi a minha primeira experiência com o conselho. Me chamou atenção, que na minha formação, eu nunca tinha ouvido a palavra capacitismo. E foi uma surpresa pra mim me deparar com essa pauta no Encontro Nacional. Então, eu percebi que o Serviço Social precisa alinhar mais com a Luta Anticapacitista. No encontro, foi impactante ver o ato de resistência da palestrante com deficiência visual que não tinha acessibilidade para descer do palco e que apontou que, mesmo os espaços mais “inclusivos”, não são feitos para quem tem alguma deficiência, ou seja, é um espaço de exclusão. Então, acho importante que o CRESS fomente mais discussões sobre a Luta Anticapacitista com a base”, comentou a assistente social.

 

Responder

Seu email não será publicado.

*
*