Siga-nos nas redes sociais

  1. CRESS-MT também lançou o Comitê Mato-grossense de Luta Antirracista, pauta de extrema relevância para a sociedade

O Conselho Regional de Serviço Social de Mato Grosso (CRESS-MT) promoveu, na noite da última sexta-feira (01.12), a palestra intitulada “Direitos Humanos, Racismo e Saúde Mental”, realizada no auditório da Procuradoria Geral da Justiça, em Cuiabá. O evento teve como palestrante principal a Dra Rachel Gouveia Passos, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Assessora do Ministério da Saúde. Participaram do evento, Assistentes Sociais, estudantes Serviço Social e demais profissionais da área.No evento, o CRESS-MT anunciou o lançamento do Comitê Mato-grossense de Luta Antirracista – pautanecessária e relevantepara a toda a sociedade.

De acordo com a Profª. Dra Rachel Gouveia a temática abordada na palestra está relacionadaaoseu livro lançado neste ano, intitulado “Na Mira do Fuzil: a saúde mental das mulheres negras”, destacando como o racismo atua no cotidiano das relações sociais, tomando como base a experiência de mães e familiares vítimas de violência armada. A obra é fruto da pesquisa realizada durante o segundo pós-doutorado da autora na área do Direito.

“Discutimos como no cotidiano da sociedade brasileira, convivemos com manifestações do racismo que marcam a experiência negra através da manutenção de estratégias de aniquilamento, seja pela violência obstétrica, pela violência armada, pela violência de gênero, pela falta de acesso à saúde, e suas outras múltiplas implicações”, contou.

Para ela,a questão racial deve ser componente imprescindível da formação profissionalpara a compreensão de que o racismo é estrutural e estruturante na formação social brasileira, e como isso implica na sociabilidade, como isso atravessa as políticas públicas e sua execução, tanto na elaboração, no modo da gestão, no planejamento e na operacionalização, já queassistentes sociais, são operadores/as das políticas públicas.

“É fundamental entendermos como o/sassistente social pode ser viabilizador/a de direito, mas também um/a operador/a da política de extermínio de morte, aumentando o encarceramento em massas, estratégias punitivistas, com tensão de corpos e subjetividade”, ressaltou.

Para a presidenta do CRESS-MT, Leana Oliveira de Freitas, além de ser uma pauta de luta, o combate ao racismo é uma causa da qual a categoria e toda a sociedade não pode abrir mão. “Este é um compromisso que nós, comocategoriaprofissional, assumimos para combater e enfrentar todas as consequências impostas pela questão do racismo à população negra no Brasil”, explicou.

Conforme a presidenta, a palestra com aProfª. Dra Rachel Gouveia, referência no tema, que dedica seus estudos à questão racial, especialmente à saúde mental da população negra, com foco nas mulheres negras, representa o marco em que o CRESS-MT oficializa o compromisso com a questão, como um dos principais da gestão “Se o presente é de luta, o futuro exige coragem”.

“Além da palestra, será realizado o lançamento solene do Comitê Mato-grossense de Luta Antirracista. Este comitê não apenas representa uma pauta importante para a categoria, mas também envolverá outras organizações da sociedade civil e movimentos sociais. O CRESS será o responsável por conduzir esse processo. Portanto, hoje, faremos o lançamento em que será lido o manifesto e serão discutidos os objetivos e propósitos do comitê”, enfatizou a presidente do CRESS-MT.

A leitura do manifesto do Comitê Mato-grossense de Luta Antirracista foi realizada pelas conselheiras Lívia Berlandi e Mércia Gonçalves.

Atividades culturais

Antes da palestra, os/as participantes tiveram a oportunidade de apreciar apresentações artísticas e culturais. LauriellenCristini Pinheiro Pereira, discente do 6º semestre do curso de Serviço Social da UFMT, recitou um poema especial, abordando a temática do racismo e das mulheres negras. Além disso, a artista PachaAna apresentou músicas de sua autoria, também explorando o mesmo tema.

“Quando estudamos sobre a história negra, não nos aprofundamos na questão central da saúde mental das mulheres negras e com a pesquisa, percebemos que se abre uma porta gigante para que possamos discutir e tratar sobre esse assunto”, frisou a estudante.

Por fim, avice-presidenta do CRESS-MT, Annelyse Cândido, avalia que o evento representou um marco significativo na gestão no combate ao racismo. Segundo ela, o evento estava previsto na agenda da entidade para este ano, que conseguiu mobilizar a categoria tanto presencialmente quanto virtualmente.

“Organizamos esse evento e contamoscom a participação e envolvimento ativo da categoria, e isso certamente irá reverberar no atendimento diário, com uma análise, com cuidado em abordar a questão do racismo e seus rebatimentos no cotidiano profissional para o melhor atendimento da população usuária, que é um dos princípios éticos de nossa profissão. Então, estamos muito satisfeitos com o resultado”, concluiu.

 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
Responder

Seu email não será publicado.

*
*